terça-feira, maio 31, 2011

A Mãe e a Vaca

Minha mãe veio me visitar este mes. Pasará um mesinho por aqui. Desta vez ficou hospedada em casa, na fazenda "Castilla Verde". É ótimo, temos muito mais convivencia num geral, e as crianças estão podendo ter uma avó realmente real - presente todo o tempo, e está uma curtição.

Desde que a Dona Marita chegou, fomos adaptando o cantinho que separamos para que se transformara no quarto dela. Ela vai, como uma heroína, adaptando-se à loucura da fazenda, às intermináveis horas de sol - e a falta de cortinas. As 6 da manhã já é de dia, e o dia dura até as 11 da noite. Se adapta também ao exceso de vida, gente, crianças e zum-zum... é verdade que também temos momentos de comtemplação, escutando o som das cigarras e das rãs no riacho.
Com um apanho aqui e outro acolá, fomos colocando lençóis e mantas que simulam mais horas de noite, garantindo umas horinhas extras de sono reconfortante.

Geralmente é o Pablo que ordenha, enquanto ajudo às meninas a preparar-se para a escola. Mas teve uma semana que assumi a tarefa (o Pablo foi pro Caminho de Santiago com a "Niña", a nova égua que conquistou seu coração). E um dia, que a mãe já tava pedindo ha tempos, ela veio comigo.
Tudo começou quando ela baixou as escadas, e voltamos pra cima pra dar um toque mais rural nas vestimentas.

Foi uma delicia poder compartilhar as minhas sensações e sentimentos da minha vida no campo com a minha mãe. Ela gostou e se sentiu (pelo que me contou) transportada a uma época na infancia, na qual ela compartia com os primos e tios uma vida no sitio. E pra minha surpresa, não demorou muito e já estava tirando bastante leite da Blanca Juana.

Agora ainda falta conseguir um tempinho pra montar a cavalo juntas. Quem sabe na sua volta de Barcelona, que afinal ela não é de ferro, nem escolheu a vida de Jeca, e precisa de uma escapadinha pra civilização e ver cultura europea, né? ;-)

Nenhum comentário: